29.8.10

Poesia


é a visita do tempo nos teus olhos,
é o beijo do mundo nas palavras
por onde passa o rio do teu nome;
é a secreta distância em que tocas
o princípio leve dos meus versos;
é o amor debruçado no silêncio
que te cerca e que te esconde:
como num bosque, lento, ouvimos
o coração de uma fonte não sei onde...

Vítor Matos e Sá

27.8.10

O meu canto

Tu és o meu cisne
A minha última criação
No urgir das asas

És o meu ângulo saliente
No vértice do encontro
Lírio com os sonhos

És o olho angustiado
No que me falta ainda
Por a vida não ser o bastante

És a minha sã loucura
No óbolo beijo
No toque dos dedos

És o meu silêncio
No sussurro lírico
Da minha voz nas palavras

Poesia
És o meu canto

Tânia Tomé



23.8.10

Há um homem



1.Há um homem em cada
noite, que se multiplica em suadas mãos
para esmerar um corpo amado.


2.Há um homem
que se dissolve em suspiros
e queda fatigado nos teus braços
a cada noite, mulher!


3. E no oficio árduo das madrugadas
nasce um homem, um homem novo,
um homem de mil e uma auroras
assim como se plagiasse o resplandecer
dos teus olhos, mulher,
para cravar os astros de prazer.


4. Há um homem, mulher,
um homem que sou,
um homem que nasço,
somente quando te amo.

Eusébio Sanjane

11.8.10

Conhecer o Mundo




Conhecer o Mundo
Eis o meu Fado!
De nada vale
Remar contra o vento!


Delmar Maia Gonçalves

9.8.10

Grão d'areia



Um só ínfimo grão de´areia
nunca imaginei
pesar tanto...

--------------

eu depondo
no clássico ritual
sobre o nosso adeus
constrangidos torrões
à mancheias.


Noémia de Sousa

2.8.10

Dá-me as Tuas Mãos



As mãos foram feitas
para trazer o futuro,
encurtar a tristeza, encher
o que fica das mãos
de ontem - intervalos
(duros, fiéis) das palavras,
vocação urgente
da ternura, pensamento
entreaberto até
aos dedos longos
pelas coisas fora
pelos anos dentro.

Vítor Matos e Sá

1.8.10

Em vez de lágrimas



Só um choro em seco
põe no vértice da minha dor
o mais intenso
auge do luto.

Noémia de Sousa