18.11.10

Sento-me na carlinga


Sento-me na carlinga e fecho os olhos
cheira a velho este antonov
na penumbra

o roncar possante
desta ave de aço
as negras mãos refulgindo

dos primeiros moçambicanos
a domar uma ave de aço

Gulamo Khan