27.8.10

O meu canto

Tu és o meu cisne
A minha última criação
No urgir das asas

És o meu ângulo saliente
No vértice do encontro
Lírio com os sonhos

És o olho angustiado
No que me falta ainda
Por a vida não ser o bastante

És a minha sã loucura
No óbolo beijo
No toque dos dedos

És o meu silêncio
No sussurro lírico
Da minha voz nas palavras

Poesia
És o meu canto

Tânia Tomé