10.11.09

Desgraça meu lóbrego destino



[Este é um caminho minado
e nele alguém tem que andar,
Para que se perpetue o mutilado]

Mau agouro, desgraça, negrura, negregura, naufrágio...
questão de opção
Neste meu módico dicionário ou palavras do dicionário à espreita
Isto não é fole de ferreiro!

Oh! Deus que me deixas ladrar à lua
Nestes dias martelados a ferro frio,
Nesta terra que mal me nasceste
E me empandeiraste na lonjura que de envolta
Um lôbrego destino, sabe
Isto não é fole de ferreiro

À discrição me deixas verter pranto
Nadando neste mar seco
Sem levar estas águas ao seu vento
E além enchendo de naufrágio
Este bandulho desalentado
E dia a dia,
Ruminando um póstero acorrentado,
Sabe, isto não é fole de ferreiro!

Oh! mãe que na caveira de burro me nasceste
E sem lume nos olhos
Me tornaste este verbo de encher
A marcar passo sem eira nem beira,
Que molejo me criaste mãe?
Neste relento à vela andando
Isto não é fole de ferreiro

Olha mãe, saiba que a vida continua,
será que num fole sonho renascer desta crónica
E não volto mais à vaca fria?
Isto não é fole de ferreiro mãe!


Noé Filimão Massango