4.5.08


Pretérito Social


Mentes
civilizadas de ideais diluídos
Na muralha do vil metal dourado
Criaram o banquete perfumado
Para alimentar os sentidos fluidos.

Apareceu sonhadora
Na tela pintada de azul
Onde o vento do sul
Abriu a linha reveladora.

Pinceladas de contrastes verticais
Brilham na melodia da madrugada
E no esplendor da grinalda aprumada
Reluzem lembranças superficiais.

Embriagantes desejos estilizados
De seios transparentes
Descem como sentidos mecanizados
Por entre sombras aparentes.

Simples força inventada
Alimenta o sonho da tendência
Que vê na transparência
A nudez da criação futurista.


Jorge Viegas