14.4.08

História



O negro
nasceu no mato
antes de ter palhota;
seu lençol era luar
e seu berço
o corpo da mãe-negra
com seios gordos
para chupar.

O negro
nasceu no mato;
e a vida
e as cobras
e os leões,
a mulher nua
e o silêncio
e a febre
nas noites de lua
e a musica nas árvores
do vento,
guardaram no negro
o segredo de lutas
e de sentir
e de amar

(A lua
leite denso
de amor e de morte
encheu-lhe o olhar).

Victor Matos e Sá