2.3.08


Hibernação I


Destilo lágrimas
no meu canto
e espanto as angústias
sem ri ma

rimar é remar
em pianos
sem música

fabricar a dor
igual ao amor

ou comparar mulheres

a talheres

e a música
não é
poente

doente

que nunca
junca

no coração
da razão?

a música
é mirra
que rima
o barco da palavra
que vai sem mastro
afogar no mar da poesia?
ou então é a minha angustia
que tem voz para cantar?

Ou então é a minha angústia
Que tem voz para cantar?


Ruy Matine