27.2.08


Quando deponho sobre os teus dedos

Quando deponho sobre os teus dedos de frio
uma mão de grinalda e de sonhos
vejo o amanhã inscrito nos teus olhos.


Armando Artur