13.2.08

A Glória de Sant'Anna


O mar do Wimbe
ficou mais azul nestes meus lábios
mais libertas as algas dos meus dedos

me recomponho nos corais partidos
pela predação do tempo
colheita a colheita

partidos para sempre
mas sempre a reviver
numa indelével beleza

deixo-me no vento
que me embala
no ir e vir das ondas

assim se lava a praia
dos meus olhos
no profundo sentido dos elos
de uma ausência



Júlio Carrilho